No dia 19 de agosto é comemorado o Dia Mundial da Fotografia.

Você sabe por quê?

Em 19 de agosto de 1839, o governo francês oficializou a invenção do daguerreótipo, considerada a primeira máquina fotográfica funcional do mundo.

O equipamento surgiu da parceria entre os inventores Joseph Niépce e Louis Jacques Daguerre, que durante anos se dedicaram à pesquisa de processos fotográficos – em uma época que quase nada se conhecia sobre isso. Juntos, Daguerre e Niépce são considerados por muitos como os pais da fotografia.

Mas o surgimento da fotografia não tem uma história única, e remonta décadas de estudos, invenções e experimentos. O daguerreótipo pode ser o mais conhecido, mas é apenas um dos vários processos que estavam sendo testados ao redor do planeta por pessoas diferentes.

Conheça algumas dessas histórias:

“Le Gras”

A primeira foto que o mundo conheceu

A trajetória de Joseph Niépce com a fotografia vem de anos antes da parceria com Daguerre. Foram muito estudos matemáticos e experimentos químicos até ele chegar no que chamou de “heliografia”, ou seja, a “escrita do sol”. Simplificadamente, a técnica consistia no escurecimento de uma placa de estanho com oxidação ao contato com a luz.

Em 1827, da janela de sua casa na Borgonha, Niépce tirou a primeira fotografia conhecida pelo mundo. O processo durou nada menos que 8 horas de exposição à luz.

Em 1829, o inventor se associou a Daguerre para que desenvolvessem juntos suas pesquisas fotográficas. Mas Niépce morreu logo depois, deixando suas contribuições científicas como herança para o parceiro. Em 1839, surgiu o mecanismo que levaria o nome de Daguerre aos anais da história da fotografia.

Hippolyte Bayard

Injustiçado pela história?

Contemporâneo de Niépce e Daguerre, Hippolyte Bayard também contribuiu para o universo fotográfico. Ele inventou um processo que gerava a imagem direto sobre o papel, semelhante ao das polaroids de hoje.

Porém, face à popularidade do daguerreótipo, Bayard se frustrou com a falta de reconhecimento de sua técnica. Em 1840, ao se ver fracassando diante do governo francês e da opinião pública, o fotógrafo resolveu encenar e fotografar um suicídio simulado como forma de protesto, eternizando-o no seu “Autorretrato afogado”.

William Fox Talbot

O criador dos negativos

O inglês foi responsável pela invenção do processo com negativos na fotografia. Enquanto os outros inventores focavam na gravação de imagens em “positivos diretos”, Talbot desenvolveu, em 1840, a técnica que chamou de “calótipo”.

As funções do daguerreótipo e das outras técnicas ficavam limitadas, já que os positivos diretos só permitem uma única revelação. A luz entra pela câmera, fixa-se na placa, e está feita a imagem. Já o processo do calótipo permitia a reprodução de várias cópias positivas a partir de um único negativo.

Hercule
Florence

E a photographie tupiniquim

O francês Hercule Florence foi pintor, desenhista, professor e inventor. Ele chegou ao Brasil em 1824 e, entre seus inúmeros objetos de estudo, começou a investigar a impressão de imagens utilizando a câmara escura.

Florence habitava a região da atual Campinas, no interior de São Paulo, e foi o primeiro a usar o termo photographie (fotografia) para se referir às experiências fotoquímicas, em 1833. Ele também teve sua contribuição científica pouco percebida diante do sucesso estrondoso de Daguerre.

Agora que você já sabe a origem da fotografia, queremos saber:

 

você tem um fotógrafo favorito?

E uma fotografia favorita?

Conta pra gente em nossas redes sociais.

Leave a Reply