Uma iniciativa que pode parecer simples, mas que é capaz de romper com a solidão dos pacientes internados e de humanizar o atendimento nos hospitais em tempos de pandemia. Criado pela IMM, o Conexões do Cuidar é um projeto que conecta pessoas internadas a seus familiares por meio de videochamadas, gerando conforto e bem-estar às pessoas que atravessam este momento tão difícil.

Seguindo o protocolo de segurança para evitar contágios, os pacientes ficam em isolamento nos hospitais e impossibilitados de receber visitas da família e dos amigos.

Para saber mais sobre este trabalho, conversamos com o fotógrafo André François, fundador da ImageMagica, que está atuando na linha de frente do projeto.

O que motivou a criação do Conexões do Cuidar?

Venho documentando iniciativas na área da saúde no Brasil há 14 anos. E mesmo antes da pandemia, sempre fui motivado pela humanização do cuidar, pela importância da conexão humana em momentos difíceis. Com a explosão do novo coronavírus, eu me vi impulsionado a documentar as equipes que estão no front, e percebi que uma das coisas mais difíceis que o profissional da saúde está passando é ver o isolamento do seu paciente e, muitas vezes, morrerem sozinhos. O Conexões do Cuidar foi criado rapidamente pela ONG e tem se mantido com doações de pessoas físicas e de algumas empresas.

Como o projeto é realizado nos hospitais?

Nossos educadores são pessoas treinadas e que atuam com toda a segurança necessária. Com a autorização do hospital, eles agendam a ação junto dos familiares do paciente e promovem as ligações de vídeo, utilizando equipamentos de proteção e celulares destinados especialmente ao projeto.

Outra iniciativa que tivemos é a produção de crachás para os profissionais da saúde. A gente tira uma foto daquele profissional e faz crachás com um nome grande e uma mensagem motivacional escolhida por ele. Foi a maneira que encontramos de mostrar a pessoa que está por trás das máscaras, resgatar sua identidade e melhorar a relação entre equipe e pacientes.

E qual é a receptividade do projeto nos hospitais?

Está sendo incrível, e os pacientes ficam extremamente agradecidos. A situação de estar com uma doença que você pode morrer sozinho, sem ter a chance de ver ninguém que você ama, vai gerando uma grande angústia no paciente. Então é transformador quando ele tem a chance de ver a família, mesmo que em vídeo, e pode até auxiliar na recuperação.

É também muito benéfico para o profissional de saúde, que mesmo estando acostumado algumas vezes a perder o seu paciente. ele não ver seu paciente ir embora desconectado da família. Isso também tem sido muito traumatizante para as próprias equipes de saúde.

Leave a Reply